A Semana



Igreja do Baruel deverá ser tombada

O Conselho Municipal do Patrimônio Cultural (Compac), em solenidade oficial no Casarão da Memória, promoveu sua primeira reunião tendo como foco o início dos estudos para o tombamento material e imaterial da capela Nossa Senhora da Piedade, conhecida como “Igreja do Baruel”, e da Festa do Baruel. O objetivo do trabalho é garantir o legado cultural e preservar este patrimônio, que é parte da história de fundação de Suzano.


De acordo com o presidente do órgão colegiado, Amaury Rodrigues, os próximos passos contemplam a qualificação dos conselheiros, por meio de cursos, palestras e visitas técnicas. A partir deste grupo capacitado será possível a elaboração de um estudo técnico aprofundado para o tombamento da Capela de Nossa Senhora da Piedade, a Igreja do Baruel, e outras demandas que chegarem ao conselho. “Esse estudo é um trabalho a longo prazo, detalhado e aprofundado para apreciação do conselho municipal. Isso envolve a parceria entre o poder público, as universidades e entidades relacionadas à defesa do patrimônio”.


O secretário municipal de Cultura, o vice-prefeito Walmir Pinto, destacou ainda a importância do tombamento por parte do governo do Estado. “A partir desse trabalho no município, conseguimos pleitear também o tombamento pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo (Condephaat) para garantir recursos públicos exclusivamente voltados à preservação do patrimônio. Além disso, é muito importante a cidade se reconhecer na obra e saber de suas origens”, disse, enaltecendo o Baruel como o único marco da fundação do território suzanense há mais de 130 anos. “É uma história que precisa ser relembrada e preservada”, reforçou.

Conselho do Patrimônio Cultural debateu o assunto em solenidade no Casarão da Memória (Gabriel Lima/Secop Suzano)

Comente abaixo