A Semana



Mogi integra grupo de 10 cidades do mundo com ações estratégicas para 1ª infância

A parceria em defesa da primeira infância firmada entre a Prefeitura de Mogi das Cruzes e a Fundação Bernard Van Leer, em andamento desde 2021, vem rendendo bons resultados. A cidade foi uma das dez escolhidas em todo o mundo para apresentar suas ações estratégicas mais promissoras em um programa de estudos realizado no campus da London School of Economics, em Londres, Inglaterra. O objetivo é a troca de experiências para o desenvolvimento de ações e sistemas urbanos que melhorem a vida de bebês, crianças e de seus cuidadores.

Na prática, Mogi das Cruzes levará sua experiência para Londres e também vai assimilar ações desenvolvidas por outras cidades, em um intercâmbio de experiências. O prefeito Caio Cunha participará de reuniões de trabalho até 15 de outubro, ao lado de uma equipe técnica da Prefeitura de Mogi das Cruzes, formada pelo secretário municipal de Planejamento e Urbanismo, Claudio de Faria Rodrigues e pela arquiteta e urbanista Fabíola de Almeida, coordenadora de Projetos Físicos e Urbanísticos da Secretaria de Planejamento. A psicóloga Milena Grieco, que gerencia o Programa Criança Feliz da Secretaria Municipal de Assistência Social, também fez parte de todo o processo.

“Desde que iniciamos nosso mandato, deixamos claro que nossa administração é voltada para as pessoas. E trabalhar para oferecer um futuro melhor para as crianças, desde a primeira infância, é uma parcela significativa deste desafio. Nossa parceria com a Fundação Bernard Van Leer vem sendo muito bem sucedida e queremos proporcionar um ambiente cada vez mais saudável, sustentável e acolhedor para as crianças mogianas. Estamos aprendendo com experiências no Brasil e no exterior, além de também apresentarmos os avanços que Mogi das Cruzes vem alcançando para as futuras gerações”, afirma Caio Cunha.

A viagem é totalmente paga pela Fundação Bernard Van Leer e não há custos para o município. A vice-prefeita Priscila Yamagami Kähler assumirá o Executivo no período em que o prefeito estiver no programa de estudos. Além de Mogi das Cruzes, participarão das reuniões de trabalho as cidades de Abu Dhabi (Emirados Árabes), Kohima (Índia), London Borough of Tower Hamlets (Reino Unido), Massachusetts (Estados Unidos), Mafra (Portugal), Recife (Brasil), Renca (Chile), Riobamba (Equador), Rourkela (Índia) e Yatta (Palestina).

No campus da London School of Economics, os líderes terão a oportunidade de se defrontar com a criação de campanhas presenciais e treinamento de mídia e também com workshops de mudança de comportamento que ajudarão os líderes da cidade a repensar como abordar seus desafios locais. Isso permitirá que os participantes tragam novas ideias e perspectivas diferentes, mudando suas mentalidades sobre como melhor resolver os problemas que enfrentam em suas cidades.

Processo de seleção

Numa primeira etapa, 40 cidades participaram do programa de estudos. Cada uma foi convidada, ao longo da formação, a desenvolver e apresentar uma estratégia de intervenção para resolver um desafio local e tornar sua cidade natal um lugar melhor a primeira infância. O curso incluiu módulos de aprendizado on-line e reuniões virtuais com o corpo docente da London School of Economics, em parceria com a Fundação Bernard van Leer e com a colaboração de parceiros de conhecimento global. Após um processo de avaliação, 10 cidades foram escolhidas para participar do programa em Londres por apresentarem as ações estratégicas mais promissoras.

Ação estratégica de Mogi das Cruzes

O trabalho desenvolvido em Mogi das Cruzes que garantiu a participação no programa de estudos em Londres abordou a pandemia de Covid-19 e sua relação com a primeira infância e o ambiente onde vivem as crianças. De acordo com o secretário Claudio Rodrigues, a pandemia trouxe grandes desafios para a cidade, expondo ainda mais as desigualdades sociais e econômicas existentes. Para enfrentar estes desafios, a cidade estabeleceu como prioridade em sua agenda a implementação de políticas públicas voltadas à primeira infância e ao desenvolvimento global das crianças.

“Nossa grande preocupação neste retorno às aulas pós-pandemia foi a criação de ambientes educacionais saudáveis para receber as crianças, e também apoiar os cuidadores e os provedores de serviços. A ação estratégica definiu como território para a Intervenção Piloto a comunidade do Jardim Aeroporto. As crianças passam a maior parte do tempo durante seu período de infância no lar ou no ambiente escolar (creche/escola)”, explicou.

O trabalho apostou na expansão do conceito de Educação Humanizada e na promoção de Intervenções Urbanas em ambientes escolares e seu entorno (ruas e espaços livres) como a base física para esta transformação, de maneira a criar bairros amigáveis à infância, estimulando a convivência de crianças e cuidadores.

“Trabalhamos com o protagonismo da criança e o envolvimento da comunidade – pais, cuidadores, vizinhança – como co-criadores das soluções propostas. Desta maneira, buscamos conseguir mudanças de comportamento no lar, no espaço educacional e nos demais espaços públicos, de maneira a atingir todos os espaços de uso diário da criança, para que Mogi das Cruzes possa se tornar uma Cidade da Criança. Apostamos no trabalho multidisciplinar e na utilização de recursos municipais, já alocados no Plano Plurianual como ferramentas para atingir a escala de implantação”, completou o secretário.

Comente abaixo