A Semana



Vereadores pedem mais legistas no IML de Mogi

A Câmara de Mogi aprovou a moção 74/22, que faz um apelo ao Governo do Estado de São Paulo por melhorias no atendimento no Instituto de Medicina Legal (IML) de Mogi. De acordo com o autor da propositura, Carlos Lucareski, os munícipes vêm sofrendo há tempos com o descaso no atendimento oferecido pelo IML, especialmente no horário entre 18hh e 8h do dia seguinte, em razão da ausência de um médico legista nesse período.

“Essa situação, que vem acontecendo há tempos em nosso município, tem provocado indignação às pessoas que, em um momento de dor, se socorrem desse serviço público, destinada à liberação de seus entes queridos, causando ainda mais sofrimento em um momento de difícil aceitação”, disse o parlamentar, que pede a existência de um médico plantonista no local. “Fui procurado por um munícipe que necessitou liberar o corpo do filho, recebendo, para sua surpresa, a notícia de que a liberação só seria possível na manhã seguinte, o que gerou sensação de revolta e indignação extrema”, afirmou. A moção foi aprovada por unanimidade.

A discussão sobre este assunto não é nova no Plenário. Em março, já havia sido aprovada outra moção de apelo, do vereador Juliano Botelho, para que o Estado aumentasse o número de médicos legistas na cidade.

Resposta

Em nota, a Secretaria de Estado de Segurança Pública informou que o IML de Mogi das Cruzes conta, atualmente, com 17 pessoas atuando na unidade, sendo seis médicos legistas. A instituição ressalta, ainda, que no último final de semana foi realizada prova de concurso para preenchimento de 189 vagas de médicos legistas no Estado de São Paulo. “Todas as providências já foram tomadas para que, após todos os procedimentos de concurso serem concluídos, a unidade receba reforço de novos profissionais”, diz a nota.

Comente abaixo