A Semana



Especialista garante que é possível ter lucro quando se identifica os gastos

Reduzir as despesas, controlar os custos e realizar novos investimentos costumam ser pontos cruciais da análise financeira de uma empresa e servem como base decisória para próximos passos. Seja qual for o porte ou segmento de sua empresa, a gestão financeira é um ponto sensível, que merece atenção e cuidado redobrado, pois qualquer erro ou interpretação equivocada pode provocar grandes dores de cabeça e prejuízo.

O especialista em investimento em renda fixa, Elton Pegoraro, CEO da Pmais Online, explica que saber distinguir essas denominações é o primeiro passo para evitar problemas nas finaças. “A definição de gasto é qualquer valor desembolsado que visa a aquisição de algo, seja um produto ou serviço. Parece óbvio, mas quando analisada a segmentação interna de gastos, o processo fica mais complexo”, explica.

Por outro lado, as despesas são todas as saídas de dinheiro que englobam a manutenção do espaço, aumento dos lucros e a ampliação de recursos, tais como, matéria-prima, mão de obra, maquinário e outros. “Vale lembrar que se alguma quantia for destinada para pagar uma atividade inesperada ou completar custos que excederam o budget planejado, esse item também deve ser considerado um gasto,” alerta.

Sem conhecer tais diferenças, é praticamente impossível realizar de forma eficiente funções importantes, como o detalhamento das movimentações mensais, análise financeira do desempenho e avaliação dos resultados.

Elton também esclarece que nas despesas também estão os valores para manter a estrutura mínima necessária para o funcionamento de suas atividades, além dos custos relacionados à administração da empresa e sem relação direta com o objetivo final do negócio. As despesas podem ser classificadas como fixas e variáveis, ou seja, que sofrem ou não alteração mês a mês.

Já sobre os investimentos, a consultora explica que eles podem ser definidos como o montante dispensado para aumentar as receitas ou melhorar a imagem da organização. Eles são empregados, geralmente, para a obtenção de algum retorno. “Para diferenciar um gasto do investimento, basta definir se a quantia agregará valor ao empreendimento”, completa.

Por fim, é fundamental entender que todo investimento demandará custos iniciais da empresa, porém, a intenção é recuperar esse valor a médio ou longo prazo, por meio da expansão de sua capacidade de produção, por exemplo.

Comente abaixo