A Semana



Avós mais participativos do que nunca

O estereótipo da avó típica de cabelos brancos, óculos na ponta do nariz e que sempre conta aquela história antiga para os netos é cada vez mais cena do passado.

Hoje, com o aumento da expectativa de vida, os avós estão mais joviais, ativos e participativos na vida dos netos. E, às vésperas do Dia dos Avós, comemorado na terça, dia 26, Dia de Sant’Ana, é cena comum ver “vovós” e “vovôs” com uma vida social intensa, atividades físicas diárias, navegando pelas redes sociais e, não raro, que ainda estejam na ativa profissionalmente.

Sandra Gallo, de 58 anos, é prova viva de que as avós da nova era estão longe de ter aquela imagem de “vovó” de histórias infantis. Casada com o músico João Gallo, os dois se desdobram para encher de carinho os netos Julia, de 14, anos, Pedro, 13, e Lívia, de oito anos. As meninas são filhas de David, o filho do meio do casal, e Pedro é filho de Juliane, a filha primogênita.

Uma tragédia na família fez com que Sandra e João ficassem mais perto dos netos, sobretudo de Julia. É que David foi uma das mais de 676 mil vítimas fatais da Covid, no ano passado. Com o falecimento dele, a neta foi morar com os avós. “Para mim, a Julia representa o meu filho neste momento. Ela virou a minha filha. Sempre fiz tudo o que podia por ela, mas agora faço muito mais. Participo ativamente da vida dela, e a gente faz tudo com muito amor”, conta emocionada.

Os dois outros netos também são apaixonados pela “Vó” Sandra. Sempre que pode, ela os leva para passear e viajar. “Somos muito presentes na vida dos nossos netos e dos nossos filhos, somos muito unidos”, afirma.

O luto pela partida precoce de David ainda entristece toda a família, mas tanto Sandra como João fazem de tudo para compensar essa ausência com muito amor para os três netos.

Novos tempos

Sandra também concorda que o relacionamento dela com os netos é diferente dos avós de décadas atrás. “Nós vivemos em um tempo de liberdade com respeito. Conversamos sobre qualquer tema, orientamos sobre tudo e somos extremamente presentes”.

E ela fala da lição que aprende com eles: “Nós não sabemos o dia de amanhã, não importa os planos que façamos. Por isso, procuro dar o melhor de mim a eles, ensinar o valor da família, de nos apoiarmos. É um presente de Deus podermos estar juntos”.

Comente abaixo