A Semana



Acolhimento emergencial no Ginásio Municipal vai operar apenas nos dias mais frios

O acolhimento emergencial para pessoas em situação de rua no Ginásio Municipal Professor Hugo Ramos, que estava sendo realizado de forma ininterrupta desde o dia 21 de maio, deixará de funcionar diariamente e, a partir de agora, voltará a atender exclusivamente nas semanas e dias de frio mais intenso. A decisão foi tomada tendo em vista a disponibilidade de vagas nos acolhimentos institucionais permanentes, as temperaturas mais amenas que têm sido registradas e também a logística envolvida na manutenção de uma estrutura que não é fixa.

“Importante lembrar que o Ginásio serve como um acolhimento emergencial, portanto ali dependemos de parcerias, doações e também de mão de obra voluntária. Ao mesmo tempo, temos abrigos permanentes para pessoas em situação de rua, garantidos por meio de convênios firmados entre a Prefeitura e organizações sociais, que têm toda a estrutura consolidada e têm ficado com muitas vagas disponíveis. Por isso, decidimos encerrar o atendimento diário no Ginásio e focar no que já temos, por meio da nossa equipe de abordagem e dos acolhimentos institucionais já existentes”, destaca a secretária municipal de Assistência Social, Celeste Gomes.

Atualmente, pouco mais de um quarto do total de vagas disponibilizadas nos abrigos permanentes estão disponíveis. São 176 vagas no total e, dessas, 47 estão desocupadas. Vale lembrar que, das 176, 20 são vagas adicionais e rotativas, disponibilizadas a partir de maio, quando a Secretaria de Assistência Social deu início à Operação Inverno, para reforçar o atendimento a pessoas em situação de rua. Eram, até então, 156 vagas e 20 vagas adicionais foram criadas.

As equipes de abordagem, que normalmente atuam das 8h às 20h, estão trabalhando diariamente das 7h até as 22h ou 23h, conforme necessidade. Durante as abordagens, os agentes sociais tentam conscientizar as pessoas a deixarem a situação da rua e ofertam e acolhimento nas unidades que prestam esse serviço. Vale lembrar que os trabalhos de abordagem não podem ter caráter coercitivo e/ou compulsório. Assim, a adesão aos serviços ofertados deve ocorrer de forma espontânea por parte das pessoas que se encontram em situação de rua. As equipes atuam em locais previamente mapeados e também a partir de denúncias, que podem ser feitas pelo telefone (11) 97096-0923.

A unidade de referência para o atendimento de pessoas em situação de rua na cidade é o Centro POP, situado no Mogilar. Lá, as pessoas são recepcionadas, cadastradas e podem tomar banho, trocar de roupa e ser encaminhadas para alimentação no Bom Prato. A unidade, que opera em horário comercial, também oferta atendimento psicossocial e o encaminhamento para acolhimento institucional. Até a última sexta-feira, o público do Centro POP também foi atendido com testagem por equipe da Unidade de Atenção aos Programas de Saúde – UAPS II, finalizando a celebração do Julho Amarelo, mês de combate às Hepatites Virais.

Mais informações sobre o serviço podem ser obtidas pelo telefone 4796-3862 ou 4790-1244.

Comente abaixo