Vício em tecnologia pode atingir crianças

Publicado em 02 19:26:05/04/2013

     

Uso excessivo de Internet afeta o comportamento dos mais novos

[caption id="attachment_7736" align="aligncenter" width="600"] Caporali: jovens trocam relacionamento interpessoal pelo virtual[/caption]

A utilização das tecnologias como celular e computador tem sido cada vez mais comum entre as pessoas e, inclusive, entre as crianças, que aprendem a utilizar estas ferramentas cada vez mais cedo. Desta forma, é importante os pais estarem atentos a um possível vício em tecnologia. O consultor em transformação integral de negócio e desenvolvimento humano, Agostinho Caporali, fala sobre a identificação do vício: “Tem muitas pessoas que gostam de tecnologia ou são fissuradas em novidades, mas nem por isso podemos considerá-las viciada. Vício é quando o comportamento rouba da pessoa outras situações, é quando ela se torna dependente disso para sobreviver, é algo incapacitante”, explica o psicólogo.

O estudante João Vitor Calixto tem 14 anos e desde os cinco tem acesso à Internet. Hoje, ele chega a passar mais de 15 horas por dia jogando no computador. “Só paro de jogar para comer, isso quando não como na frente do computador. Quando tenho tempo livre, sempre opto por ficar na Internet”, conta João, que agora tem o horário controlado pela mãe durante os dias de semana, para o computador não atrapalhar no seu desempenho escolar.

Na Internet, ele também aprendeu a resolver qualquer problema em software e entende bastante do assunto. “Aprendo muita coisa pesquisando, até mesmo para ajudar na hora do jogo”, diz o garoto, deixando bem claro que o jogo não atrapalha a vida pessoal ou escolar.

Vantagens

Utilizar o computador durante tantas horas no dia pode atrapalhar a criança ou jovem em seus relacionamentos, segundo Caporali. “Muitas vezes o jovem acaba trocando relacionamento interpessoal pelo virtual e isso é preocupante. É muito comum ver pessoas cada vez mais tímidas, pois não exercem o relacionamento. O isolamento é sempre prejudicial, pois somos seres sociais, nascemos para viver em sociedade”, declara o especialista, sugerindo que os pais coloquem limites e estabeleçam horários aos filhos utilizarem a Internet. No entanto, o psicólogo afirma que a tecnologia também traz vantagens: “Há muitos aplicativos que são educativos e ajudam a criança a se desenvolver. Quanto mais estimulada a criança for, melhor será seu desenvolvimento. Além disso a geração “high-tech” já está aí. Daqui para a frente, a tendência é que cada vez mais a tecnologia seja usada, como os e-books (livros digitais), que já são muito vendidos”, conclui o consultor.






Telefone: 11 4798.8444
Celular: 11 9 3802.6290

© 2020 Copyright - Todos os direitos reservados