Endometriose e a qualidade de vida

Publicado em 28 14:52:19/03/2018

     

Adiar a maternidade tem se tornado cada vez mais comum entre as mulheres. Algumas até optam por não ter filhos. A escolha ocorre por vários motivos, mas o que o efeito da “não gravidez” pode causar? O diretor clínico do Hospital e Maternidade Mogi-Mater e presidente da Associação Paulista de Medicina (APM) - Regional Mogi das Cruzes, Alex-Sander José Miguel explica que aquelas pacientes que menstruam mais vezes ao longo da vida entram para o chamado “grupo de risco” da endometriose. A doença consiste na localização fora da cavidade uterina de células do endométrio, mucosa que reveste a parte interna do útero. Essas células são levadas para outros órgãos pela chamada menstruação retrógrada, que é quando o sangue menstrual volta nas tubas. Como esse sangue carrega células do endométrio, elas acabam se fixando em órgãos como trompas, ovários, intestino e bexiga. E quanto mais vezes a mulher menstrua ao longo da vida maior a chance de isso acontecer. Os primeiros sinais de alerta, segundo o especialista, é o fluxo muito intenso e as cólicas progressivas. “A dor aumenta de tal forma que a paciente precisa tomar remédio”, explica. A doença também pode prejudicar a qualidade de vida da mulher, inclusive, a sua vida sexual, com dor profunda durante a relação sexual. “Isso pode trazer transtornos, porque a mulher pode acabar se inibindo de ter relações”, avisa. Prevenção Uma das formas de prevenir a doença pode ser feita já na adolescência, através da pílula anticoncepcional de uso contínuo, que inibe a menstruação. O DIU (Dispositivo Intra Uterino) Mirena também é uma solução, porque também faz o bloqueio menstrual e tem a duração de cinco anos. Já o tratamento correto da endometriose depende da queixa da paciente e do estágio da doença. Em caso de dor o primeiro passo é diminuir esse sintoma: os médicos podem recorrer as medicações analgésicas convencionais, aliadas ao uso de anticoncepcional. A cirurgia é indicada em casos de lesões profundas e quando ela pode aumentar as chances de fertilidade da paciente, caso ela pense em ter filhos.






Telefone: 11 4798.8444
Celular: 11 9 3802.6290

© 2020 Copyright - Todos os direitos reservados