Consumidores mogianos estão mais atentos aos seus direitos

Publicado em 15 10:10:47/03/2013

     

Em 2012, o Procon do municípios registrou mais de 19 mil atendimentos, dentre reclamações e orientações

Na semana em que o consumidor brasileiro comemora o seu dia, com a data oficial sendo comemorada nesta sexta-feira, 15, as reclamações nos órgãos oficiais dos direitos do consumidor mostram que quem compra está cada vez mais atento aos seus direitos.

No Procon de Mogi, só no ano passado, foram feitos mais de dois mil atendimentos, entre orientações, mediações e reclamações, sendo que as áreas de produtos e financeira são as campeãs nas denúncias, especialmente quanto a golpes de falsas empresas ou estelionatos. Segundo Dori Boucault, vice-presidente da Comissão de Direitos e Defesa do Consumidor da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Mogi das Cruzes, o importante é o consumidor nunca confiar totalmente em uma empresa e sempre procurar pesquisar dados e referências. “Nunca se deve confiar nessas empresas que oferecem serviços milagrosos, nem que colam anúncios em postes ou trabalham exclusivamente pela Internet, porque caso aconteça alguma coisa, o consumidor não conseguirá tomar medidas diante ao Procon”, explica.Apesar dos conselhos do especialista, os consumidores estão cada vez mais a par dos seus direitos. O estudante Alan Vitor Fernandes, 19, conta que nunca precisou tomar outras medidas para resolver questões com empresas. “Nunca precisei, mas procuro ficar atento e em caso de acontecer alguma coisa, acho que o melhor é procurar um advogado”, fala.

É o que acontece também com a estudante de Direito, Carla Viviane Aires Lins Pompeu, 38, que sempre que percebe que algo não está certo, procura seus direitos. “Sempre procuro me manter informada, porém sempre que acho que alguma coisa não está me agradando ou não está certo, pesquiso para saber meus direitos e ir atrás deles”, afirma.

Comerciantes devem estar preparados

Tânia Fukusen Varjão, presidente da Associação Comercial de Mogi das Cruzes (ACMC), afirma que o comerciante de hoje conhece bem o que está previsto no Código de Defesa do Consumidor, tanto nos direitos do consumidor, quanto nos direitos dos comerciantes. Atualmente, a ACMC desenvolve ações juntamente com o Procon da cidade para divulgar o código, esclarecer dúvidas e alertar situações que podem gerar complicações. “O que observamos é que as dúvidas mais comuns referem-se à nota fiscal e troca de mercadoria. Portanto, para evitar transtornos, é fundamental que o comerciante conheça e siga todas as regras do Código de Defesa do Consumidor” completa Tânia.

Tânia Fukusen Varjão, presidente da Associação Comercial de Mogi das Cruzes (ACMC), afirma que o comerciante de hoje conhece bem o que está previsto no Código de Defesa do Consumidor, tanto nos direitos do consumidor, quanto nos direitos dos comerciantes. Atualmente, a ACMC desenvolve ações juntamente com o Procon da cidade para divulgar o código, esclarecer dúvidas e alertar situações que podem gerar complicações. “O que observamos é que as dúvidas mais comuns referem-se à nota fiscal e troca de mercadoria. Portanto, para evitar transtornos, é fundamental que o comerciante conheça e siga todas as regras do Código de Defesa do Consumidor” completa Tânia.






Telefone: 11 4798.8444
Celular: 11 9 3802.6290

© 2021 Copyright - Todos os direitos reservados