Os fura-fila da vacina

Publicado em 22/01/2021

     

Há coisas em que a gente só acredita vendo. Enquanto as vacinas contra o coronavírus são distribuídas pelo Brasil afora, pipocam por aí algumas denúncias e flagrantes de pessoas que furaram a fila de vacinação, tirando o lugar de pessoas prioritárias na campanha.

O mais impressionante é que um dos casos vem de Manaus, no Amazonas, cidade vive semanas dramáticas em hospitais pela falta de oxigênio para pacientes com Covid-19. As filhas do dono de uma universidade manaura não tiveram pudor ao publicar fotos sendo vacinadas. Após as denúncias, os profissionais da saúde foram proibidos de publicarem fotos ou vídeos da imunização nas redes sociais.

Na cidade de Jupi, em Pernambuco, o fotógrafo oficial da prefeitura, que não integra o grupo de risco, foi flagrado sendo vacinado. O prefeito de Pombal, a 370 km de João Pessoa, foi o primeiro a tomar a vacina da Covid-19 em sua cidade, mesmo sem estar no grupo prioritário para receber a dose da Coronavac. O de Itabi, no Sergipe, também. O Ministério Público de Alagoas também vai instaurar um procedimento preparatório para apurar a afirmação de que o influenciador digital Carlinhos Maia teria recebido convite para ser uma das primeiras pessoas a serem vacinadas contra a Covid-19. Nas redes sociais, o influenciador disse que recusou o convite e questionou se o MP “não tem mais nada para investigar”. Palavras dele.

E como eles deve ter muito mais, apenas mais malandros ao ponto de não se deixarem fotografar. É impressionante a falta de empatia. Essas pessoas são capazes de deixar profissionais de saúde sem vacina para poderem pagar de bacanas tomando injeção. O que mais causa revolta é que essas mesmas pessoas são capazes de esbravejar insultos contra a corrupção em qualquer oportunidade que tiverem.

O jeitinho brasileiro de passar por cima de quem quer que seja para se dar bem sempre foi muito presente na sociedade. Mas isso precisa acabar. É preciso que o Ministério Público de fato investigue se houve desvios da vacina. As doses iniciais sequer vão dar para imunizar todos os profissionais de saúde. Não é justo que ricos, poderosos e cara de pau, que até ontem estavam aglomerando em praias famosas da Bahia, sejam vacinados. E isso nem é difícil de fiscalizar. 






Telefone: 11 4798.8444
Celular: 11 9 9850.4458

© 2021 Copyright - Todos os direitos reservados