Mogi quer combater acumuladores de animais

Publicado em 05/07/2019

     

Acumular compulsivamente objetos, detritos e animais de forma insalubre é um problema de saúde pública e afeta, principalmente, idosos que criam vínculos afetivos com lixos e seres vivos. Numa variação da doença, conhecida como “Síndrome de Noé”, as pessoas pensam estar protegendo os animais, mas, na verdade, causam dor e sofrimento aos pets devido às condições de vida, higiene e enclausuramento a que os submetem. São diversos os casos no município de acumuladores que necessitam de atenção básica de saúde e assistência de órgãos públicos. 

Os animais, nesses casos, muitas vezes vítimas de maus-tratos, são encontrados, geralmente, em grande quantidade, vivendo em ambientes insalubres e sem higiene, assim como seus tutores portadores do transtorno, causando riscos à saúde humana, individual e coletiva, bem como a perturbação do sossego alheio. A criação de um Grupo Técnico de Atenção Integral às Pessoas em Situação de Acúmulo de Animais foi proposta pela vereadora Fernanda Moreno (PV) e aprovada por unanimidade pelos vereadores em dezembro de 2018. 

 

O trabalho

Bem recebida pelas Secretarias Municipais, a criação do Grupo Técnico já foi regulamentada, estabelecendo trabalhos com equipe multiprofissional visando garantir a proteção e bem-estar animal, a correta destinação de objetos e resíduos, além de oferecer assistência e amparos necessários às pessoas que sofrem com este distúrbio em todo território municipal. 

A Prefeitura de Mogi tem 90 dias, prorrogáveis pelo mesmo período, para montar o Grupo Técnico, a partir da data da publicação. 

Os técnicos escalados para compor a equipe terão acesso a todas repartições, recebendo apoio que se fizer necessário para o desenvolvimento do trabalho, além de reconhecida capacidade técnica e comprovada experiência social. Por ser considerado serviço público de relevância, não acarreta em nenhuma remuneração adicional.

Até o momento, já foram indicados profissionais da Secretaria Municipal de

Assistência Social, da Secretaria Municipal de Educação, do Ambulatório Municipal de Saúde Mental, do departamento de Vigilância em Saúde, sendo um médico veterinário representante da Divisão de Controle de Zoonoses e outro do Núcleo de Prevenção e Controle de Arboviroses.

 

Denúncias

Casos de acumuladores de animais, objetos e resíduos em Mogi das Cruzes podem ser notificados para a Ouvidoria, pelo telefone 156. As denúncias também podem ser feitas pelo site eouve.com.br ou pelas redes sociais da Ouvidoria,

A vereadora Fernanda Moreno também disponibiliza a sua equipe de gabinete para orientações de casos de acumuladores, pelo telefone 4798-9515 ou presencialmente.






Telefone: 11 4798.8444
Celular: 11 9 3802.6290

© 2020 Copyright - Todos os direitos reservados