Mais de metade dos pais é a favor da volta às aulas presenciais

Publicado em 26/01/2021

     

Mogi não irá retomar as aulas presenciais na rede municipal no mês de fevereiro. A decisão é que o retorno se dará de forma remota nas escolas municipais, em função do rigoroso planejamento para garantir a segurança sanitária para alunos, pais e profissionais da educação.

Entre os dias 18 e 21 de janeiro, foi feita uma consulta pública à população de Mogi das Cruzes. Os resultados são um importante elemento para a decisão da estratégia de retorno letivo, compondo a análise técnica em conjunto com critérios epidemiológicos e educacionais. Participaram da consulta 20.625 mogianos, destes 15.244 sendo pais e responsáveis de alunos. 

Os resultados da consulta pública mostraram principalmente o equilíbrio na opinião dos pais e responsáveis em relação ao retorno presencial, quadro consideravelmente diferente da consulta pública realizada no 2º semestre de 2020.

Na atual pesquisa, 51% dos pais e responsáveis se declararam a favor do retorno presencial nas escolas de Ensino Fundamental I, percentual que alcançou 55% na pergunta sobre o retorno nas escolas de Ensino Fundamental II e de Ensino Médio. Já sobre as creches e pré-escolas, o resultado também foi equilibrado, mas tendendo para uma posição contrária ao retorno: 56% dos pais e responsáveis são contrários ao retorno nas creches e 53% nas pré-escolas. 

O resultado pouco difere dos apresentados acima quando são computadas apenas os pais e responsáveis de creches e escolas da rede municipal e conveniada, que é administrada pelo Município. Ao somar as respostas de todas as categorias, o nível de concordância com o retorno presencial chega aos seguintes resultados: 41% para as creches, 44% para as pré-escolas, 49% para as escolas de fundamental I e 53% para as escolas de fundamental II e ensino médio. 

O resultado varia entre os distritos da cidade. Em Jundiapeba, Brás Cubas e Sede, a maioria dos pais e responsáveis respondentes sinalizam concordância com o retorno presencial nas escolas de ensino fundamental e médio, embora o resultado também seja equilibrado. Já em Taiaçupeba, Sabaúna e Biritiba Ussu, a posição majoritária é contrária ao retorno presencial. 

A pesquisa mostrou também que na possibilidade de uma volta às aulas presenciais, com as escolas devidamente preparadas, rodízio de turmas e os profissionais instruídos, mas considerando que a vacina não foi aplicada a todos os profissionais, 46% dos pais e responsáveis enviariam seus filhos para a escola. Esse percentual variou de 55% em Jundiapeba a 26% em Taiaçupeba.

O equilíbrio nos resultados da consulta pública com significativa variação das respostas por distrito indica que a tomada de decisão sobre um retorno presencial seguro e faseado demandará o cruzamento dos diferentes dados educacionais e epidemiológicos bairro a bairro, para que a Secretaria possa construir as respostas mais assertivas ao desafio do atual contexto.






Telefone: 11 4798.8444
Celular: 11 9 9850.4458

© 2021 Copyright - Todos os direitos reservados