Use a alimentação a seu favor para ter uma vida longa e saudável

Publicado em 08/11/2018

     

Com uma rotina cada vez mais agitada, com tantos compromissos profissionais e pessoais para resolver, a preocupação com a alimentação fica em último lugar.  E as refeições à mesa, com grande oferta de legumes, hortaliças e carnes magras, dão lugar a pratos industrializados e lanches rápidos com calorias vazias e baixo valor nutricional.

É claro que tudo isso gera um impacto na saúde que sente, a longo prazo, o efeito de uma dieta pobre em fibras, vitaminas, minerais e rica em gorduras saturadas e muito sódio.

“Os resultados de se cultivar péssimos hábitos alimentares podem variar, mas todos eles têm em comum o fato de acabar com nossa imunidade e resistência física, dando vazão a disfunções como hipertensão, diabetes, doenças cardiovasculares, complicações intestinais, desgaste ósseo, obesidade, entre tantos outros”, enumera a mestre em Nutrição pela Universidade de São Paulo (USP), Claudia Sanibal.

Problemas cada vez mais observados nos dias atuais, em que registramos um aumento da expectativa de vida. A especialista faz um alerta: “Estamos vivendo mais, mas não estamos cuidando da nossa alimentação como deveríamos para gozar da longevidade em sua plenitude”.

 

Prevenção

Para reverter esse quadro ou prevenir doenças diretamente relacionadas a decisões nutricionais equivocadas, ela indica atenção às escolhas que fazemos todos os dias. Um bom começo é adotar a prática da substituição: como optar por grãos integrais em vez dos refinados, frutas no lugar de doces ricos em gordura, água e sucos naturais em troca dos refrigerantes e assim, sucessivamente.

Contudo, a orientação de um profissional de nutrição é mais do que bem-vinda, pois somente ele poderá avaliar, depois de exames de sangue, os nutrientes e as porções indicadas para cada pessoa, de acordo com seu quadro clínico e estilo de vida. “Em muitos casos, a pessoa adota uma dieta altamente restritiva e isso acaba acometendo as respostas metabólicas e hormonais. O ideal é a comida de verdade com os porcionamentos adequados para o seu biótipo e objetivo”, explica a mestre em Nutrição.

 

Idosos

Já para as pessoas mais velhas, que apresentam a saúde fragilizada, até mesmo por conta da idade, os cuidados devem ser ainda mais rigorosos. Devido a doenças pré-existentes ou pelo desgaste natural do organismo, não é recomendável seguir receitas predeterminadas, ou as “dietas da moda”.

De acordo com a especialista, nessa fase da vida, principalmente, é preciso estar muito mais atento às necessidades nutricionais individuais e respeitar o metabolismo de cada organismo.






Telefone: 11 4798.8444
Celular: 11 9 3802.6290

© 2018 Copyright - Todos os direitos reservados