Especiais

11 de outubro de 2017
 

Amor ensinado por crianças especiais

Todas as crianças são especiais, mas tem aquelas que têm o dom de nos ensinar a cada dia o valor do amor. Elas mostram que, mesmo atravessando dificuldades e condições diferentes, são capazes de levar a vida com muita alegria e determinação.

 

Enxergando com a alma

Ela adora assistir Friends, toca piano, estuda inglês, faz dança e teatro, aprendeu espanhol sozinha, gosta de maquiagem e pretende em breve voltar às aulas de natação. Podem ser atividades normais para uma criança de 12 anos, mas para Letícia Cordeiro são prova de que ela é realmente uma criança mais do que especial. É que a Lele, como é carinhosamente chamada por todos, nasceu com amaurose congênita de Leber (ACL), uma doença degenerativa da retina caracterizada pela perda grave de visão desde o nascimento. Mas apesar de ela nunca ter visto como é o mundo, ela é mais capaz de enxergar do que se imagina. “A Lele vê com o coração, com os outros sentidos. Ela desenvolve a sua própria criatividade e imagina como as coisas são”, conta a mãe, Elisabete Cordeiro. E a concepção dela do mundo surpreende pela exatidão. “Associo o verde à natureza, o azul à cor do mar e o amarelo ao sol”, diz.

Letícia é exemplo para todos os que a rodeiam. A mãe é a sua principal fã e não esconde o orgulho. “O que no início era uma situação de desespero, em que eu não sabia o que fazer, hoje é o maior orgulho da minha vida, porque a minha filha me ensina diariamente a agir com amor perante as dificuldades”, relata, emocionada, acrescentando que percebeu a condição da filha quando ela tinha uma semana de vida.

Apesar de conviver bem com a falta de visão, Letícia é firme quando é questionada sobre qual é o seu maior sonho: “Poder enxergar”. O desejo enche os seus lindos olhos castanhos de lágrimas, mas não muda uma coisa: Lele é uma criança feliz, rodeada de amor. E ela não hesita em devolver esse amor para todos os que a conhecem.

 

Dificuldades superadas a cada passo

Sophia Luiza da Silva é uma garotinha de três anos que tem hidrocefalia e paralisia cerebral. Ela foi diagnosticada com o problema após completar um ano e, por conta disso, a menina não consegue ter firmeza nas pernas para andar.

Apesar de todas estas adversidades, isso não a impede de ser agitada e brincar muito. “Eu gosto de brincar de massinha com meus amiguinhos, gosto de fazer vídeo, minha avó comprou uma mesinha e gosto de brincar com a Nina, minha boneca e dou injeção nela quando ela não obedece. Eu gosto de dançar igual balé”, conta Sophia.

A mãe, Giovana Batista, detalha um pouco como é lidar com esta dificuldade. “Nós vamos atrás do tratamento dela na AACD, por ela ter atraso no desenvolvimento. Sem contar nos problemas com buracos na calçada, pois ela ainda usa andador e por conta disto não pode andar em estrada de paralelepípedo. Apesar de tudo isso, tentamos tratá-la como uma criança normal”, explica.

Para fazer com que ela tenha uma vida comum, Sophia frequenta a escola normalmente. “Tudo o que dá para ela participar eles colocam, inclusive na dança de quadrilha que fizeram”, completa Giovana.





 
Veja também
 

 
por A Semana
 

 
 
por A Semana
 

 
 
201802200854325a8c0c7803ec3

Coreógrafo mogiano vai à França participar de campeonato mundial de danças urbanas

Evento de hip hop nesta sexta quer arrecadar fundos para ajudar dançarino
por A Semana
 

 

 
WC (3)

Mais de 5 mil pessoas são imunizadas durante o ‘Dia D’ de vacinação contra a febre amarela

Além da vacinação, iniciativa contou com serviços gratuitos de testagens rápidas de HIV, sífilis e hepatites B e C, aferição de pressão arterial, glicose e outros exames
por A Semana
 

 
 
IMG_3312

Com 10 pontos de vantagem, Mogi das Cruzes/Helbor bate Joinville no Hugão

O Mogi das Cruzes/Helbor agora soma 80% de aproveitamento na competição nacional, tendo 16 vitórias em 20 jogos.
por A Semana
 

 
 
IMG_0760

Master Coach realiza workshop “Sou Empreendedor e Faço a Diferença” em Mogi

O Workshop acontecerá no Auditório Metropolitan, localizado na Rua Santana, 335
por A Semana
 

 

 
DSC_0076

Vereador Farofa solicita itinerários alternativos do transporte municipal na Mogi-Bertioga

Durante a reunião, o vereador Farofa aproveitou para reiterar pedidos de implantação de lombada na avenida Carlos Ferreira Lopes (Jardim Camila)
por A Semana
 

 
 
principal

Vacina será aplicada de casa em casa

Moradores do Caputera serão imunizados depois de macaco aparecer morto
por A Semana
 

 
 
24129491_952916951524968_176626799292991286_n

TPA: filmagens com drone

Empresa se destaca no mercado com serviços inovadores
por A Semana